SOENAMA

A Associação SOENAMA do Povo Indígena Paíter Suruí foi fundada no ano de 2012 para intermediar melhorias na qualidade de vida do Povo Paíter Suruí e das famílias participantes, pautado pela conservação e o uso sustentável dos recursos naturais para geração de renda e benefícios sociais. Sendo assim, o objetivo da Associação SOENAMA é ter a autonomia, à promoção e a defesa dos direitos indígenas aliada ao desenvolvimento de atividades de geração de renda, fortalecimento cultural e acesso às políticas públicas, tais como; fiscalização, etnodesenvolvimento, saúde, educação e entre outros. A Associação SOENAMA é formado por famílias que habitam na Terra Indígena sete de Setembro, visando promover, fortalecer a cultura tradicional, e organizacional para à luz da cultura tradicional, para geração de renda e melhoria na qualidade de vida. Já os Públicos alvos deste projeto são indígenas Paíter Suruí membros da Associação SOENAMA, podendo se estender a outras comunidades ou associações.

O que Fazemos

Nosso objetivo é ter a autonomia, à promoção e a defesa dos direitos indígenas aliada ao desenvolvimento de atividades de geração de renda, fortalecimento cultural.

Nossa História

Em 2014 o Projeto Babaçu paiter Suruí foi idealizado, pela associação por meio de reuniões com associados e diagnósticos da área e do produto, além disso, os paíter já utilizavam como segurança alimentar, medicinal, artesanato e na construção de coberturas de malocas e tapiri, fortalecendo as práticas culturais com geração de renda sustentável à partir dos recursos naturais e conhecimentos tradicionais na Terra Indígena Sete de Setembro com os seguintes subprodutos; que prevê o uso integral do coco coletado na floresta, o óleo de Babaçu, a farinha do mesocarpo, artesanato e sabão. No final de 2015 a Soenama iniciou um novo desafio, buscar junto ao Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola – Imaflora, a certificação socioambiental seguindo os princípios e critérios preconizados pelo Forest Stewardship Council® – FSC, para suas práticas tradicionais de manejo de espécies florestais, processamento e comercialização dos produtos e sub-produtos oriundos, primeiramente, do babaçu. E em 2016 houve a certificação da Forest Stewardship Council (FSC), foi obtida por parceria entre a associação e a certificadora IMAFLORA, tendo seu babaçual integralmente contemplado com o selo e dentro do plano de manejo realizado. A valorização da cultura indígena aliado ao seu desenvolvimento econômico com base no manejo florestal de produtos não madeireiros promove ainda a proteção territorial da terra indígena e a manutenção de sua floresta. O projeto Babaçu vai ao encontro de diversas políticas e instrumentos legais que apoiam e promovem iniciativas produtivas indígenas que sejam provenientes de sua cultura e tenham como base o uso sustentável de recursos naturais dentro de seus territórios para fins comerciais. A obtenção da certificação FSC®.Fornecendo ao consumidor produtos com procedência étnica e territorial garantida e manejados de forma sustentável. A unidade de manejo delimitada apresenta aproximadamente 91 hectares e é composta por espécies arbóreas, arbustivas e palmáceas.Atualmente a associação tem muita dificuldade de produção e comercialização de seus produtos, devido à falta de recursos e maquinários adequados, mas continuam com uma pequena produção artesanal juntamente com a comunidade. O Projeto Babaçu Paiter Suruí da Linha 10, pretende criar assim, uma estrutura para aproveitamento da cadeia produtiva do Babaçu, gerando renda e qualidade de vida com sustentabilidade aos indígenas articulados pela Associação SOENAMA. Com o projeto pretende-se colocar em ação e em prática o projeto bem como a melhoria na comunidade. Sabendo que são vários os desafios que deverão ser feitos, porém há muito a se fazer para chegar no patamar adequado. Pois pretende se abranger as demais comunidades com a geração de renda sem perder a cultura tradicional.

Clientes

Seus Projetos

pt_BRPortuguês do Brasil
Precisa de orientações?
Escanear o código